Você sabe o que é medicina integrativa?

A saúde vai muito além da ausência de doenças físicas. Ela representa um estado geral de pleno funcionamento do organismo e da mente, em conjunto com a satisfação da pessoa humana. Para além da cura de doenças, a Medicina Integrativa busca possibilitar o estado total de bem-estar ao paciente.

A definição de saúde, elaborada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), é uma excelente amostra sobre o objetivo almejado pela Medicina Integrativa. O órgão considera que a saúde é “um estado de completo bem-estar físico, mental, social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”. 

Isso significa que a abordagem fria e unicamente técnica no tratamento das doenças vem sendo superada pela observação do indivíduo em todas as suas particularidades. 

Para ficar mais claro, vamos entender como atua a medicina convencional, para depois nos aprofundarmos na abordagem integrativa. 

Particularidades da Medicina Moderna

A medicina convencional – ou medicina moderna – é baseada nos avanços tecnológicos possibilitados pelas descobertas da ciência. São os tratamentos orientados pelo uso de medicamentos e cirurgias. Em situações de emergência, a medicina moderna é importantíssima para a preservação da vida.

No entanto, lembramos da medicina convencional sempre na presença de doenças e enfermidades já instaladas. Ou seja, na necessidade da cura do mal presente. As características da medicina atual são baseadas na observação fragmentada e puramente biológica do ser humano. 

Dentre outros aspectos das técnicas modernas em saúde, podemos considerar:

  • uso de métodos científicos;
  • experimentação;
  • utilização de dados matemáticos e físicos na análise de parte do ser humano;
  • observação das reações bioquímicas do organismo;
  • foco na doença.

Alguns especialistas em saúde, e mesmo pacientes, não se sentem satisfeitos com a abordagem fria do corpo humano. Isso é complementado pela necessidade de uma nova visão sobre as alterações do organismo. Sobre as razões pelas quais o corpo adoece. Não somente na abordagem paliativa das doenças, que já foram desenvolvidas no indivíduo.

Esse contexto favoreceu o surgimento de um olhar mais completo sobre as enfermidades: a medicina que desfragmenta os órgãos e tecidos e os analise em conjunto.

Particularidades da Medicina Integrativa

A Medicina Integrativa não é uma exclusão das técnicas modernas em saúde. Ela também não corresponde à medicina alternativa, apesar de considerá-la como uma das possibilidades existentes para o tratamento das disfunções orgânicas. 

O que realmente diferencia a especialidade é a busca pela definição feita pela OMS, como citado acima. A medicina integrativa não busca somente a cura de doenças.

Ela envolve impedir que as enfermidades ocorram, mantendo a saúde e o bem-estar do indivíduo por toda a sua vida. Por isso, a medicina integrativa se preocupa com todas as circunstâncias que possam desfavorecer a saúde do ser humano. Tais condições podem envolver influências físicas, mentais, sociais, emocionais, espirituais e ambientais. Por isso, dizemos se tratar de uma Medicina Integrativa, ou integral.

Outras características da Medicina Integrativa podem ser resumidas como:

  • parceria entre paciente e médico;
  • corpo, mente, espírito e comunidade são consideramos importantes fatores para a saúde e o bem-estar do paciente;
  • uso de todas as ciências da cura para facilitar a resposta do organismo;
  • métodos naturais e menos invasivos são usados sempre que possível, não sendo excluídas as técnicas convencionais;
  • a investigação médica é aberta a novos paradigmas em saúde;
  • o tratamento das doenças é encarado com a necessidade de promover a saúde total do paciente, bem como a prevenção de doenças;
  • atendimento personalizado, respeitando as condições, necessidades e circunstâncias de cada paciente.

Para finalizar, é importante entender que os médicos praticantes da medicina integrativa baseiam seus princípios na auto-exploração e no autodesenvolvimento do organismo de seus pacientes.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como fisiologista hormonal e dermatologista em São Paulo.

Postado por Daniel Stellin

Deixe uma resposta