Benefícios das diferentes formas de jejum para saúde

Início » Benefícios das diferentes formas de jejum para saúde

Imagine a cena: após uma ótima noite de sono, você acorda e, em vez de tomar café da manhã, não come nada e já começa suas tarefas diárias. Ou então, realiza a sua última refeição às 15h, voltando a se alimentar apenas no outro dia. Em um primeiro momento, esse estilo de vida pode até causar estranhamento para algumas pessoas, mas muita gente vem adotando o hábito de realizar o jejum para melhorar a saúde e o bem-estar.

A estratégia é simples, privar-se de alimentação durante períodos pré-determinados e, com isso, provocar mudanças no funcionamento do organismo que resultarão em melhorias significativas na fisiologia do corpo.

Vantagens do jejum

Confira alguns benefícios que o jejum promove na vida de quem é adepto à prática:

1 – Aumento da expectativa de vida

Estudos mostram que passar longos períodos sem ingerir alimentos faz com que as células façam um processo chamado de autofagia, que é o ato de comerem outras células, normalmente, velhas ou com alguma má formação. Isso resulta em uma espécie de autolimpeza do corpo, promovendo a renovação celular, a melhoria dos sistemas do corpo humano e, consequentemente, o aumento da expectativa de vida.

2 – Controle do diabetes

Quem faz o jejum intermitente, modalidade em que se alternam os dias que se come normalmente com os que se alimenta de maneira regrada, consegue reequilibrar os níveis de insulina no organismo. Esse hormônio tem papel fundamental na entrada da glicose nas células. Além disso, reduz a resistência à insulina, um problema ligado diretamente ao diabetes tipo 2, e que atrapalha a substância a cumprir sua função no corpo.

3 – Emagrecimento sem perder massa magra

Com a regularização dos níveis de insulina no corpo, outros hormônios começam a agir mais no organismo, como é o caso do glucagon, o cortisol e a adrenalina. Eles então realizam o processo de queima de gordura para conseguir a energia necessária para o funcionamento dos sistemas. A massa magra não passa por degeneração, pois o aumento do hormônio do cresciment0 (GH), promove a proteção da perda muscular, processo conhecido como catabolismo.

4 – Manutenção do metabolismo basal

Praticar períodos de jejum não faz com que o metabolismo fique lento. Mesmo com as restrições alimentares, o organismo mantém o gasto de calorias de forma acelerado para seja possível continuar a realizar as atividades básicas do corpo ao longo do dia.

5 – Diminuição dos processos inflamatórios

A restrição calórica, assim como os exercícios de alta intensidade, produz substâncias que agem diretamente no complexo de proteínas inflamassoma evitando que elas desenvolvam o processo inflamatório de doenças variadas, como Alzheimer, diabetes tipo 2, entre outras.

6 – Sistema imunológico mais forte

A prática do jejum acaba protegendo contra os danos que acontecem cotidianamente no sistema imunológico, inclusive em pessoas que passam por tratamento de quimioterapia. O ciclo sem alimento induz a regeneração do sistema, fazendo com que as células-tronco se renovem.

7 – Redução do colesterol

Com a adaptação do organismo para conseguir energia durante os períodos sem alimentação, o LDL – colesterol considerado ruim – diminui significativamente em médio e longo prazo, no mesmo ritmo em que há o emagrecimento e a regularização da insulina.

8- Melhora de algumas doenças neurológicas 

A cetose, processo provocado pela transformação da gordura em fonte de energia para o organismo, produz um metabólito chamado Betahidróxibutirato, sendo esse um combustível extremamente eficaz para o funcionamento do cérebro, tendo efeitos já comprovados em doenças como Epilepsia e Alzheimer .

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como fisiologista hormonal e dermatologista em São Paulo.

 

Postado por Dr. Daniel Stellin | CRM: 111.635

Dr. Daniel Stellin é um dermatologista graduado pela Faculdade de Medicina do ABC-São Paulo e pós-graduado em Fisiologia Hormonal Aplicada. Detém os títulos de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, Especialista em Infectologia pelo Hospital do Servidor Público Estadual e Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.