6 mitos e verdades sobre o açúcar

Início » 6 mitos e verdades sobre o açúcar

Açúcar dentro de uma tigela de madeira

Falar de açúcar é algo sempre polêmico. Enquanto muitos o consideram como um verdadeiro vilão da alimentação, outros não abrem mão dele para adoçar a vida. Há o cristal, refinado, mascavo, de coco, demerara. São muitas variações e, todas elas, estão cercadas de mitos e verdades.

Quer esclarecer as principais questões sobre o açúcar e desmistificar as informações inverídicas que são propagadas por aí? Leia o artigo e descubra o que é verdade e o que é mentira sobre esse doce e instigante assunto.

O consumo de açúcar pode ser prejudicial para a saúde

Verdade. A ingestão excessiva de açúcar pode prejudicar a saúde, pois o alto consumo de sacarose (açúcar simples) está relacionado com o sobrepeso e a obesidade. Além disso, pode desencadear o aparecimento de cáries dentárias em crianças.

O açúcar é o principal causador de diabetes

Mito. Consumir açúcar de fato pode elevar o nível de glicose no sangue, além de agravar o quadro dos diabéticos, entretanto ele não pode ser responsabilizado como causa diabetes. Na diabetes do tipo 1, a doença é causada diretamente pela destruição das células produtoras  da insulina no pâncreas. Já na diabetes do tipo 2, fatores como a predisposição genética, o sedentarismo e o estilo de vida são as principais causas do  problema.

O açúcar da fruta está liberado sem moderação

Mentira perigosa. A frutose, açúcar das frutas, é mais saudável que o açúcar industrializado, até porque, o segundo passa por procedimentos químicos que o empobrecem nutricionalmente. Apesar disso, a frutose deve ser consumida com moderação, pois em excesso, pode contribuir para o ganho de peso e subida da glicose no sangue, estimulando por sua vez um acréscimo na liberação da insulina, o que por sua vez pode resultar no aumento de gordura corporal e visceral além de elevar os níveis de triglicérideos em determinados pacientes .

Consumir açúcar melhora o humor

Sim. O consumo de açúcar levanta o astral e melhora o humor. A serotonina é responsável pela sensação de prazer e bem-estar e, o triptofano (uma das matérias-primas desse hormônio tão importante), só chega ao sistema nervoso central se estiver acompanhado de glicose. Isso justifica o fato do mau humor e desânimo em quem exclui completamente os doces da dieta.

Todos os açúcares são iguais

Não. Engana-se quem pensa que não há diferenças entre os açúcares. Os açúcares refinados, mascavos e orgânicos se distinguem tanto pela forma de produção, quanto pelo valor nutricional. O refinado passa por processos químicos que o fazem perder parte dos nutrientes. O mascavo, por sua vez, preserva vitaminas e minerais essenciais, mesmo assim, deve ser consumido com equilíbrio. O orgânico é nutricionalmente similar ao mascavo, porém, é feito de cana cultivada sem agrotóxicos e fertilizantes. Uma dica valiosa na avaliação dos açucares é que, quanto mais escuro ele for, maior quantidade de vitaminas e sais minerais ele possui e quanto mais claro, maior o processo de refinamento e mais deletério a saúde ele é.

 

O açúcar engorda

Parcialmente uma verdade. Se a pessoa exagerar na dose, o açúcar pode ser o fator causador do ganho de peso. Uma simples colher de sopa de açúcar tem aproximadamente 110 kcal. De modo geral, as pessoas costumam comer mais do que isso por conta da quantidade mascarada de açúcar em sucos, bolos, sobremesas, biscoitos, iogurtes, e em outros alimentos.

Características dos diferentes tipos de açucar

Mascavo – Açucar bruto, escuro que é extraído do caldo de cana, possui grande quantidade de cálcio, ferro e sais minerais.

Demerara- Comumente usado no preparo de doces, passa por refinamento leve e não possui aditivos, apresenta valores nutricionais próximos aos do mascavo.

Açucar de Coco- fonte de vitaminas do complexo B, potássio, magnésio e zinco, tem como vantagem o baixo índice glicêmico em relação aos demais.

Açucar Branco – trata-se do tipo refinado, baixo valor nutricional pela ausências das vitaminas e minerais além de possuir  alto índice glicêmico.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como fisiologista hormonal e dermatologista em São Paulo.

Postado por Dr. Daniel Stellin | CRM: 111.635

Dr. Daniel Stellin é um dermatologista graduado pela Faculdade de Medicina do ABC-São Paulo e pós-graduado em Fisiologia Hormonal Aplicada. Detém os títulos de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, Especialista em Infectologia pelo Hospital do Servidor Público Estadual e Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.