Fale conosco pelo WhatsApp

Emagrecimento

Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)

O processo de emagrecimento saudável muitas vezes vai além de realização de dieta e exercícios, demandando acompanhamento integrativo

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), pelo menos 60% dos brasileiros adultos estão acima do peso — um número que corresponde a 96 milhões de pessoas. Os dados são de 2019 e mostram, ainda, que cerca de 25% de toda a população do País encontra-se na faixa de obesidade. Esse quadro explica por que há tantos homens e mulheres em busca de métodos de emagrecimento.

O processo de emagrecimento pode ser bastante complicado, indo muito além de apenas corrigir hábitos alimentares e se exercitar com mais frequência. Isso porque a obesidade é considerada uma doença multifatorial que engloba diferentes e variados aspectos, tais como: social, biológico, comportamental, saúde pública, cultural, político e até mesmo herança genética.

Entenda o conceito de emagrecimento

O emagrecimento é o objetivo de muitas pessoas. Porém, é importante entender que este é um processo bastante diferente da perda de peso corporal. Embora ambos os conceitos impliquem em uma redução nos dígitos apresentados pela balança, o impacto de cada um deles sobre o corpo é bastante diferente, especialmente se levarmos em conta os efeitos sobre a saúde.

Perder peso, na prática, significa apenas menos quilos, sem considerar a composição corporal do indivíduo. Isso muitas vezes representa uma redução na chamada massa magra (composta por músculos, líquidos corporais e órgãos), e não perda de gordura. O emagrecimento, por sua vez, diz respeito à redução do percentual de gordura corporal — o que nem sempre está diretamente ligado a um número menor ao subir na balança.

O emagrecimento saudável diz respeito ao aprimoramento da composição corporal de uma pessoa, diminuindo o excesso de gordura e aumentando a massa magra. Esse é um processo que leva ao melhor funcionamento do metabolismo, redução dos riscos de doenças e manutenção mais fácil do peso corporal.

Perder peso ou emagrecer? O que é melhor?

Muitas pessoas que desejam perder peso buscam um resultado imediato, e acabam apelando para dietas muito restritivas e realizadas sem acompanhamento médico especializado ou embasamento científico. Nesses casos, é comum que a redução de alguns quilos realmente aconteça, mas não necessariamente de maneira positiva à saúde. Este tipo de método normalmente se mostra muito difícil de manter, o que faz com que a pessoa recupere o peso, geralmente piorando ainda mais sua composição corporal, por perda muscular.

Para quem busca um emagrecimento saudável e possível de ser mantido, o ideal é investir em reeducação dos hábitos — o que inclui não apenas mudanças na alimentação, mas no estilo de vida como um todo. Uma vez que a obesidade é considerada uma doença multifatorial, a perda de gordura deve considerar todas as condições que influenciam no ganho de gordura, solucionando cada uma delas sempre que possível.

Emagrecimento: entenda os perigos da obesidade

O emagrecimento vai muito além de questões estéticas, sendo essencial também para a prevenção e controle de diversas doenças que podem ser muito perigosas à saúde das pessoas. O excesso de gordura corporal provoca um estado inflamatório generalizado, que ocorre pela produção de citocinas pelo tecido adiposo, sobrecarregando diversos órgãos e aumentando o risco de diversas patologias listadas a seguir.

Algumas das principais doenças que estão associadas à obesidade são:

  • Cardiopatias;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Diabetes tipo 2;
  • Alguns tipos de câncer;
  • Alterações musculares e ósseas causadas pela sobrecarga de peso;
  • Doenças respiratórias;
  • Depressão.

Emagrecimento com a Medicina Integrativa

A obesidade é uma consequência da interação de diversos fatores e deve ser tratada de maneira multidisciplinar. Neste sentido, a Medicina Integrativa destaca-se como uma importante aliada do processo de emagrecimento, uma vez que esta é uma metodologia que propõe justamente uma visão completa dos pacientes — considerando todos os aspectos que influenciam na saúde do indivíduo.

Do ponto de vista da Medicina Integrativa, a saúde de uma pessoa é resultante de uma combinação entre aspectos físicos, mentais e emocionais, e todos esses fatores devem ser levados em consideração durante um tratamento. Esta é uma abordagem que tem como principal objetivo solucionar diversas questões de saúde a partir de variadas terapias médicas e métodos complementares.

Quando o assunto é emagrecimento, a primeira linha de tratamento integrativo consiste em realizar mudanças no estilo de vida. As principais abordagens terapêuticas iniciais, portanto, incluem adoção de uma dieta adequada às necessidades e realidades do paciente, equilibrando sua rotina alimentar e fazendo com que ela seja mais saudável. Além disso, o sedentarismo deve ser eliminado.

Caso necessário, pode ser adotada uma abordagem mais severa, com uso de medicamentos específicos para obesidade e inclusão de suplementos nutricionais na dieta. O especialista deverá solicitar exames para avaliar o estado de saúde do paciente e iniciar tratamentos específicos para as condições apresentadas.

Como funciona a Medicina Integrativa?

Para promover o emagrecimento saudável, o especialista em Medicina Integrativa deverá avaliar criteriosamente as condições clínicas apresentadas pelo paciente, solicitando exames e entendendo sua rotina e seus hábitos. A partir das informações encontradas, o médico poderá identificar todos os fatores que interferem no organismo e estão causando o sobrepeso ou obesidade.

O tratamento em busca do emagrecimento deverá reunir procedimentos tradicionais da Medicina — tais como uso de medicamentos e até realização de procedimentos — e metodologias complementares, como uso de fitoterápicos, tratamento ortomolecular ou terapia de reposição hormonal. Caso necessário, profissionais de diferentes especializações poderão participar do tratamento, incluindo:

  • Nutricionista;
  • Nutrólogo;
  • Psicólogo;
  • Endocrinologista;
  • Ortopedista;
  • Cardiologista;
  • Educador físico;
  • Fisioterapia.

A união do conhecimento de todos esses profissionais poderá resultar em um programa de emagrecimento dinâmico, que atenda a todas os aspectos que compõem a vida do paciente e precisam de ajustes. A proposta é permitir que o indivíduo crie hábitos saudáveis e se comprometa com eles, evitando comportamentos prejudiciais à sua saúde.

É importante destacar que, tanto no tratamento contra obesidade como em qualquer outro tipo de cuidado com a saúde, os cuidados não devem ser eliminados quando o processo de emagrecimento tiver sido alcançado. Mesmo quando atinge seu peso corporal ideal, é necessário  manter-se atento a possíveis deficiências nutricionais, alterações hormonais e alterações metabólicas eventualmente presentes.

O acompanhamento de um profissional que atue sob o viés da Medicina Integrativa é essencial para a manutenção dos resultados alcançados e promoção da saúde do paciente. Entre em contato e agende uma consulta com o Dr. Daniel Stellin.

 

Fontes:

Ministério da Saúde

Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica

Dr. Daniel Stellin

Agende sua consulta

Clínica com tecnologia e humanização para seu tratamento.

ENTRE EM CONTATO