Bigode chinês: saiba como preveni-lo e amenizá-lo

Início » Bigode chinês: saiba como preveni-lo e amenizá-lo

Uma das marcas de envelhecimento mais indesejáveis é o “bigode chinês”. Essa denominação popular refere-se aos sulcos que se formam, das laterais do nariz e  canto da boca, devido à perda de elasticidade da pele, a fatores genéticos ou ao envelhecimento natural. As linhas desse “bigode” variam de uma pessoa para outra, conforme o tipo e o estado da pele, podendo ser mais profundas ou discretas.

A boa notícia é que é possível prevenir o “bigode chinês” ou atenuar esses sinais com tratamentos estéticos. Esse tipo de sulco surge, em geral, a partir dos 30 anos de idade. Isso acontece porque, após a 3.ª década de vida, o corpo diminui a produção de colágeno e elastina, 2 proteínas importantes para a elasticidade e a plasticidade da pele. O enfraquecimento das estruturas da pele facial favorece a formação desses sulcos e de outros sinais como as linhas de expressão.

É importante saber que o envelhecimento da pele não está atrelado somente à idade da pessoa. Fatores ambientais e estilo de vida (má alimentação, estresse, tabagismo e abuso de bebidas alcoólicas) também podem acelerar esse processo.

Como prevenir o “bigode chinês”?

É possível prevenir essas marcas, assim como outros sinais de envelhecimento, redobrando  os cuidados com a pele. Limpeza, tonificação e hidratação devem fazer parte da rotina diária para preservar a juventude facial. O uso de produtos que contêm substâncias antioxidantes e compostos que estimulam a produção de colágeno é uma das medidas preventivas.

Toda essa atenção com a pele deve começar muito antes dos 30 anos. Nunca é demais lembrar os efeitos nocivos e cumulativos da radiação solar. Uma pele exposta frequentemente ao sol, sem qualquer proteção, tende a envelhecer mais rapidamente. Por isso, antes de investir em cosméticos, o ideal é fazer uma consulta dermatológica. O especialista indicará os produtos adequados para se preservar a qualidade da pele.

Tratamentos estéticos para eliminar o “bigode chinês”

Uma opção eficaz para atenuar o quadro é o preenchimento facial com ácido hialurônico ou outras substâncias, a critério do profissional responsável pelo tratamento. O preenchimento facial devolve o volume e os contornos da face, atenuando os sulcos.

Também é possível aplicar o laser para resolver esse problema. O laser age profundamente, estimulando a produção de colágeno. A luz pulsada é outra opção de tratamento, indicada para quem possui um “bigode chinês” mais suave. Assim como o laser, a luz pulsada também age nas camadas profundas da pele, melhorando a hidratação e a produção de colágeno.

A radiofrequência é indicada quando o “bigode chinês” é formado a partir da flacidez da pele. As ondas de energia estimulam a formação de colágeno, renovando a pele do rosto. Esses e outros tratamentos estéticos só devem ser realizados em clínicas dermatológicas especializadas. Não há necessidade de internação. Após os procedimentos, o paciente pode voltar para casa, porém deve reforçar a aplicação do filtro solar e usar os produtos recomendados pelo dermatologista, para a limpeza e a hidratação da pele.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como fisiologista hormonal e dermatologista em São Paulo.

CTA para uma entrevista com o Dr. Daniel Stellin

Postado por Dr. Daniel Stellin | CRM: 111.635

Dr. Daniel Stellin é um dermatologista graduado pela Faculdade de Medicina do ABC-São Paulo e pós-graduado em Fisiologia Hormonal Aplicada. Detém os títulos de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, Especialista em Infectologia pelo Hospital do Servidor Público Estadual e Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.