Qual a relação entre estresse e insônia?

Início » Qual a relação entre estresse e insônia?

estresse

O estresse é causador da insônia ou a insônia provoca o estresse? Na verdade, a relação entre as duas coisas é tão íntima que é praticamente impossível dissociá-las.

Quando estamos estressados, é difícil dormir bem, assim como é complicado acordar livre do estresse se, na noite anterior, não tivemos um sono reparador. Funciona basicamente como um ciclo prejudicial de privação do sono.

Quer entender como o estresse é, ao mesmo tempo, causa e consequência da insônia? Leia o artigo e fique por dentro do assunto.

Afinal de contas, o que é estresse?

Considerado por muitos como o mal do século, o estresse é a maneira emocional e física como reagimos aos diversos tipos de situações. Ele pode gerar manifestações no corpo, como: alterações respiratórias, aceleração dos batimentos cardíacos, tensão muscular, preocupação, mau humor, irritabilidade, exaustão, etc.

Vale ressaltar que a sobrecarga de trabalho, o trânsito caótico, a falta de tempo para o lazer, as preocupações financeiras, conflitos familiares, excessivas pressões profissionais, acadêmicas e pessoais, a correria diária, além de outras exigências e ocorrências da vida moderna são fatores altamente estressantes, que de uma forma ou de outra, contribuem para uma má noite de sono .

Qual é a relação entre estresse e insônia ?

As condições estressantes favorecem a secreção abundante de cortisol, “hormônio do estresse”. Essa substância nos prepara para situações físicas e emocionais de adversidades, nos carregando de energia e mantendo o nosso estado de alerta.

Como o cortisol não permite que nos desliguemos completamente do que acontece ao nosso redor, ele também nos impede de desligar para atingir o sono reparador.

Como se livrar do estresse e ter boas noites de sono?

O travesseiro não é conselheiro, e a cama definitivamente não é o lugar mais adequado para colocar as ideias em ordem e resolver problemas. Levar as preocupações para o quarto pode gerar ainda mais estresse e ansiedade, o que pode causar insônia.

Se você deseja dormir bem para amanhecer mais disposto, concentrado, bem humorado, produtivo, feliz e com maior facilidade para tomar decisões, é preciso recorrer a uma série de atitudes capazes de fazer diferença na qualidade do sono. Veja quais atitudes são essas:

Alimentação balanceada

Você sabia que a alimentação pode ajudar a reduzir o estresse e combater a insônia? Verdade. Alimentos saudáveis e nutritivos, como frutas, legumes, verduras e oleaginosas podem contribuir para o bem-estar e a qualidade de vida de modo geral.

Os maiores aliados da qualidade do sono são os alimentos calmantes, as fontes de ômega 3, os ricos em triptofano, os antioxidantes e as vitaminas do complexo B. Vale a pena incluir ao seu cardápio:

 

  • Abacate
  • Banana
  • Maracujá
  • Alface
  • Ovos
  • Frango
  • Aveia
  • Nozes
  • Atum
  • Salmão
  • Linhaça
  • Chia
  • Brócolis
  • Espinafre
  • Couve
  • Kiwi
  • Cereja
  • Laranja

Equilíbrio hormonal

Se você quer dormir mais e melhor, busque o equilíbrio hormonal. A desregulação dos hormônios pode gerar distúrbios como a insônia, que é justamente a dificuldade de pegar no sono ou se manter dormindo.

Os níveis muito baixos de progesterona, por exemplo, podem atrapalhar o sono de qualidade, isso porque, esse hormônio tem ação relaxante ( gabaérgica) e a deficiência dessa substância aumenta a propensão à tensão e inquietação.

Prática de exercícios

As atividades físicas também podem te ajudar a dormir melhor. Os exercícios colaboram efetivamente para a liberação de hormônios ligados ao prazer e bem-estar, portanto, atuam como coadjuvantes na luta contra o estresse e a depressão.

Para completar, a prática regular de exercícios físicos pode aumentar em até 37% o período de sono de quem tem insônia crônica. Grande benefício, não é mesmo? Só evite malhar muito tarde, pois isso pode fazer com que você demore a pegar no sono e acorde mais cansado.

Hábitos de sono saudáveis

Para dar adeus ao estresse e à insônia, é importante seguir hábitos saudáveis, como estipular uma rotina do sono, com horários bem definidos para dormir e acordar. Essa rotina deve ser mantida, inclusive, nos finais de semana e folgas.

Outra dica importante é evitar comer muito tarde, fugir de alimentos pesados, gordurosos e açucarados, bem como eliminar alimentos estimulantes, como café, guaraná, chás, chocolate e suplementos energéticos no menu noturno.

Além disso, vale a pena criar um ambiente favorável para as boas noites de sono, apostando em um quarto escuro, silencioso e confortável termicamente, com bons colchões, travesseiros agradáveis e roupas de cama limpas.

Ah, e não se esqueça que os tablets, notebooks, videogames, televisores e smartphones devem ser completamente excluídos da hora do sono. Eles atrapalham – e muito – o relaxamento físico e mental.

Quer saber mais sobre insônia? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter. Ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como fisiologista hormonal e dermatologista em São Paulo.

Postado por Dr. Daniel Stellin | CRM: 111.635

Dr. Daniel Stellin é um dermatologista graduado pela Faculdade de Medicina do ABC-São Paulo e pós-graduado em Fisiologia Hormonal Aplicada. Detém os títulos de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, Especialista em Infectologia pelo Hospital do Servidor Público Estadual e Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.