Hormônios da Saciedade: O que são e como atuam?

Início » Hormônios da Saciedade: O que são e como atuam?

hormônios da saciedade

Você já sentiu uma incontrolável vontade de comer? Mesmo querendo resistir, acabou cedendo às tentações alimentares? Geralmente, dá a primeira bocada sem nem mesmo perceber? Não consegue parar de comer, ainda que sua intenção seja maneirar na comida? Então, atenção pois este artigo é para você!

Possivelmente, esse descontrole tem a ver com seus hormônios. Isso mesmo! Seu apetite tem total relação com o sistema endócrino. Pensando nisso, preparei um texto especial sobre os hormônios da saciedade. Venha descobrir o que são e como atuam.

O que são hormônios da saciedade?

Os hormônios da saciedade são substâncias químicas que agem sobre nosso apetite e nos informam quando é a hora de parar de comer. Quando eles estão em desequilíbrio, corremos o sério risco de exagerar na quantidade de comida e ficamos mais expostos a problemas como sobrepeso, obesidade, colesterol alto e hipertensão, por exemplo.

Quais são os hormônios relacionados à fome e saciedade?

Se você tem muito apetite e apresenta dificuldades para se sentir satisfeito – mesmo depois de comer bastante – a culpa pode ser do seu sistema hormonal. Acredite!

São várias as substâncias químicas envolvidas nos processos fisiológicos da alimentação, sendo que os principais hormônios relacionados às sensações de fome e saciedade são a leptina, grelina, GLP-1, colecistocinina e peptídeo YY.

Como agem esses hormônios?

A leptina é o principal hormônio da saciedade, age no hipotálamo reduzindo o apetite, regulando a função neuroendócrina, aumentando o gasto energético e auxiliando no metabolismo da gordura e da glicose. A grelina, por sua vez, é o hormônio que avisa ao cérebro que precisamos comer, então, quando o estômago fica vazio, a secreção de grelina aumenta e quando nos alimentamos a mesma diminui.

O GLP-1 é o chamado hormônio da plenitude. Ele é produzido e liberado no momento em que o alimento entra no intestino. Ele atua no organismo sinalizando para o cérebro que estamos satisfeitos. Já a colecistocinina (CKK) é uma substância produzida por células do sistema nervoso e trato intestinal. Ela é secretada pelo duodeno, quando a pessoa consome proteínas ou gorduras, aumentando assim os sinais de saciedade que são mandados para o cérebro. Além disso, ela tem a missão de tornar mais lentos os processos de digestão e esvaziamento gástrico.

O peptídeo YY é o hormônio do controle e é capaz de atuar na redução do apetite e aumento da saciedade, é fortemente ativado por refeições ricas em proteína. Por sua vez, o neuropeptídeo Y faz o contrário e age como estimulante da fome e aumento do desejo por carboidratos. A produção do neuropeptídeo Y eleva o apetite, induz a ingestão excessiva de comida e, consequentemente, pode gerar o ganho de peso e concentração de gordura abdominal. Ainda bem que a liberação do peptídeo YY inibe a secreção do neuropeptídeo Y e nos deixa mais saciados.

Quer saber mais sobre os hormônios da saciedade? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter. Ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como fisiologista hormonal e dermatologista em São Paulo.

Postado por Dr. Daniel Stellin | CRM: 111.635

Dr. Daniel Stellin é um dermatologista graduado pela Faculdade de Medicina do ABC-São Paulo e pós-graduado em Fisiologia Hormonal Aplicada. Detém os títulos de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, Especialista em Infectologia pelo Hospital do Servidor Público Estadual e Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.