Medicina Ortomolecular: Você sabe o que é?

Início » Medicina Ortomolecular: Você sabe o que é?

medicina ortomolecular

Medicina Ortomolecular. Nutrição Ortomolecular. Nutrição Ideal. Três nomes para designar a mesma questão: uma prática medicinal que ganha cada vez mais destaque entre as pessoas que querem um estilo de vida menos tóxico e que busca o equilíbrio do funcionamento do corpo a partir do estudo das características bioquímicas e clínicas do paciente.

Para alcançar essa estabilidade do organismo, trabalha-se o aperfeiçoamento das funções fisiológicas com alimentos e produtos naturais e evita-se o uso de medicamentos.

Essa ciência considera o fato de grande parte dos problemas de saúde provocar alterações significativas na constituição orgânica. Para permitir o funcionamento harmônico do organismo, o profissional vai indicar os melhores alimentos com os nutrientes indicados para a situação do paciente, considerando as necessidades de aminoácidos, vitaminas e minerais.

Como funciona

Após o paciente realizar os exames necessários e o médico realizar a análise dos hábitos e da rotina, considerando vícios e fatores ambientais, será desenvolvida uma dieta com os alimentos e medicamentos naturais que promoverão o reajuste orgânico e o combate aos radicais livres e estados inflamatórios crônicos. A produção de espécies reativas de oxigênio (ROS) e o processo conhecido como glicação são fatores importantes de dano celular e desbalanço do organismo.

Além dos aspectos fisiológicos que resultam no aparecimento de radicais livres, o ambiente e os hábitos individuais também favorecem o surgimento dessas alterações . Como exemplos de fatores negativos a saúde estão a exposição a radiação ultravioleta, a poluição, o cigarro, situações de estresse e contaminantes alimentares, além de outros fatores que são conhecidos como disruptores endócrinos (modificam o equilíbrio hormonal).

Formas como age no corpo

A medicina ortomolecular pode agir de quatro maneiras distintas no organismo do paciente. A primeira delas é restaurando e suprindo a carência de nutrientes. A segunda é aumentando a concentração das substâncias benéficas aos sistemas de maneira que elas possam causar algum impacto positivo. A terceira é limpando e eliminando a toxidade dos órgãos (processo conhecido como detoxificação). E a última é diminuindo ao máximo a ação dos radicais livres no corpo.

Como os radicais livres afetam sua vida

Os radicais livres são moléculas que, quando em excesso em nosso organismo, são capazes de desenvolver inúmeros problemas de saúde. Mas, a definição da doença que será gerada depende de vários fatores, como o tipo de radical, o local de atuação, o potencial de provocar danos e a predisposição do organismo em desenvolver a enfermidade.

Entre os principais problemas ocasionados pelos radicais livres estão doenças degenerativas como câncer, diabetes, mal de Parkinson, artrite e catarata.

Para combater essas substâncias é necessário o consumo de nutrientes antioxidantes, pois anulam a capacidade dos radicais de atacar de maneira nociva as células sadias do organismo.

Principais antioxidantes

  • Vitaminas A: nutriente presente na abóbora, alface, pimentões, damasco e ovos.
  • Vitaminas do complexo B: disponíveis no leite, nas carnes, cereais, ovos, feijão, grão de bico etc.
  • Vitaminas C: presente em frutas cítricas, como laranja, limão, morango, entre outras.
  • Vitamina D: pode ser obtida pelo leite e seus derivados.
  • Vitamina E: encontrado na cenoura, no espinafre, nos aspargos e na castanha do Pará.
  • Zinco: principais fontes são carne de vaca, frango e de peixe, gérmen de trigo, grãos, castanhas, cereais, legumes, ostras e camarão.
  • Ferro: presente nos brócolis, na couve, no espinafre, no queijo de soja, na aveia, e na quinoa.
  • Ômega 3: presente em peixes marinhos, como o salmão, a sardinha e o atum.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como fisiologista hormonal e dermatologista em São Paulo.

Postado por Dr. Daniel Stellin | CRM: 111.635

Dr. Daniel Stellin é um dermatologista graduado pela Faculdade de Medicina do ABC-São Paulo e pós-graduado em Fisiologia Hormonal Aplicada. Detém os títulos de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, Especialista em Infectologia pelo Hospital do Servidor Público Estadual e Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.