6 mitos e verdades sobre a melatonina

Início » 6 mitos e verdades sobre a melatonina

melatonina

A melatonina, também conhecida como hormônio do sono, é uma das substâncias responsáveis pela indução do sono e pela regulação do organismo ao longo do dia. Ela começa a ser produzida na glândula pineal quando o dia escurece, para ajudar o organismo a se preparar para dormir, atingindo seu nível máximo durante o sono. Com o nascer do sol e a volta da claridade, a glândula reduz a produção de melatonina, o que sinaliza que é o momento de acordar.

Nos últimos anos, muitas pessoas estão comprando a melatonina, em forma de cápsulas, com o intuito de melhorar a qualidade do sono. Apesar dos benefícios, é preciso lembrar que o hormônio também atua em outras regiões do corpo. Por isso, é preciso entender um pouco a sua ação e os mitos que envolvem a sua atuação. Continue a leitura e saiba mais!

1. A produção da melatonina diminui com a idade

Verdade.A produção de melatonina diminui ao longo do tempo, seja devido à idade ou à exposição constante a estímulos luminosos e visuais.

2. Melatonina ajuda a emagrecer

Mito. Apesar de o sono ter um papel importante no emagrecimento, não é possível afirmar que o uso do hormônio ajuda a emagrecer. O que acontece é que durante o sono de qualidade, o corpo regula os hormônios relacionados à saciedade (a grelina e a leptina). Quando se dorme pouco ou se tem um sono de baixa qualidade, esses também hormônios atuam de forma piorada, fazendo com que a pessoa coma mais até conseguir se sentir satisfeita.

3. A melatonina pode ser utilizada para outros tratamentos, além do sono

Verdade. Ainda não se sabe completamente todas as possíveis ações da melatonina no organismo. Por isso, nos últimos anos, muitas hipóteses têm sido levantadas, como a melhora na enxaqueca, potencialização dos efeitos da quimioterapia, prevenção ao câncer, tratamento da síndrome dos ovários policísticos, entre outros.

4. Posso tomar a melatonina sem recomendação médica

Mito. A melatonina indicada para suplementação é uma dose muito maior do que aquela liberada pelo corpo. Estima-se que toda noite a glândula pineal solte para o organismo 0,1 mg de melatonina, e os comprimidos de hoje podem ter até 3 mg da substância. Por isso, é importante seguir uma indicação médica ao consumi-la.

5. Ao utilizar a melatonina sintética, o organismo para de produzir o hormônio

Mito. A melatonina não faz retroalimentação negativa ou positiva, isto é, sua produção não é bloqueada ou estimulada conforme seu nível no sangue.

6. Seu uso indiscriminado pode causar efeitos colaterais

Verdade. Apesar de a melatonina ter sua eficiência terapêutica comprovada cientificamente, ela ainda é um hormônio que possui muitos efeitos sobre os sistemas endócrino e nervoso central, podendo desencadear reações secundárias e interagir com outros medicamentos e substâncias.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como fisiologista hormonal e dermatologista em São Paulo.

Postado por Dr. Daniel Stellin | CRM: 111.635

Dr. Daniel Stellin é um dermatologista graduado pela Faculdade de Medicina do ABC-São Paulo e pós-graduado em Fisiologia Hormonal Aplicada. Detém os títulos de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, Especialista em Infectologia pelo Hospital do Servidor Público Estadual e Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.