5 mitos e verdades sobre o óleo de coco

Início » 5 mitos e verdades sobre o óleo de coco

óleo de coco

Afinal, o óleo de coco faz bem ou faz mal? Posso usá-lo para hidratar meu cabelo? Ingerir a substância vai me ajudar a emagrecer? É uma opção de produto para hidratar a pele? Essas e outras diversas dúvidas são frequentes quando falamos desse óleo, um produto que já usado há centenas de anos, mas que ganhou muito mais destaque nos últimos anos.

O óleo de coco é uma substância de origem vegetal produzida a partir do coco fresco ou seco. Seu processo de obtenção não envolve procedimentos químicos e o produto final é rico em ácidos graxos poliinsaturados que proporcionam vários benefícios para a saúde.

Atualmente, ele é usado tanto no ambiente doméstico, na culinária e na estética, quanto por empresas do ramo de beleza, em produtos para o cabelo e hidratantes para a pele. Porém, para cada finalidade há uma versão específica.

Veja o que é verdade e o que é mito quando se trata dessa substância que gera tanta polêmica.

Ingerir o óleo ajuda no processo de emagrecimento

Verdade! Como todos os produtos originados do coco, o óleo também é extremamente nutritivo e é um alimento funcional, promovendo inúmeros benefícios para a saúde, fornecendo energia para o cérebro, diminuindo o colesterol ruim e a hipertensão.

Além disso, quando aliado a dietas de baixo consumo de carboidratos ( cetogênica e afins ), transforma-se em um elemento que reduz a liberação intensa de insulina, faz o intestino funcionar melhor, potencializa a redução da gordura na área do abdome. Em decorrência de sua composição nutricional, acaba sendo um item importante na redução da compulsão por carboidratos e gorduras além de promover um aumento da saciedade.

É um importante aliado na saúde bucal

Mito! Apesar de ter muitas qualidades, ainda não há nenhuma comprovação de benefícios do óleo para os dentes, para a língua ou para as mucosas da boca.

É recomendado para ter uma pele bonita e hidratada

Verdade! Quando o assunto é pele, o óleo de coco ganha destaque. Ele pode ser aplicado na forma natural em todo o corpo, principalmente em regiões mais ressecadas, como calcanhares, joelhos e cotovelos.

Quem deseja fazer uma esfoliação corporal, pode misturá-lo com açúcar, passar por todas as partes e retirar a mistura com água. O resultado é imediato, sem causar irritação.

O óleo ainda pode ser usado para auxiliar no momento da depilação. Aplicá-lo sobre a pele na hora do banho facilita o deslizar da lâmina no momento de raspar os pelos.

Ele deixa o cabelo bonito e hidratado

Verdade! A substância tem grande capacidade de hidratar os fios, porém, é indicado que se use produtos que contenham o óleo em sua composição. Caso opte por usar o óleo, a indicação é misturá-lo a uma máscara de hidratação, aplicar nos fios sem deixar entrar em contato com a raiz e retirar completamente após alguns minutos.

O óleo aumenta a oleosidade da pele e dos cabelos

Mito! Se utilizado de maneira correta, ele não causará nenhum problema para os mais diversos tipos de pele e de cabelo. A orientação é que se use uma quantidade pequena do produto e evitando ao máximo deixar resíduos. No caso dos fios, o aspecto natural volta gradativamente após as lavagens.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como fisiologista hormonal e dermatologista em São Paulo.

Postado por Dr. Daniel Stellin | CRM: 111.635

Dr. Daniel Stellin é um dermatologista graduado pela Faculdade de Medicina do ABC-São Paulo e pós-graduado em Fisiologia Hormonal Aplicada. Detém os títulos de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, Especialista em Infectologia pelo Hospital do Servidor Público Estadual e Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.