Fale conosco pelo WhatsApp

Tudo sobre Implantes Hormonais

Demonstração de aplicação de implante hormonal

Os implantes hormonais têm se consolidado como uma das melhores alternativas para a modulação hormonal. Trata-se de uma solução moderna, que traz segurança e comodidade para quem recorre ao tratamento

O implante hormonal é um pequeno tubo de silicone que mede, em média, de 3 a 5 cm. Ele é inserido na parte interna do braço, ou acima das nádegas, por meio de uma cânula. Esse método permite a liberação hormonal de maneira segura, prolongada, gradual e uniforme. O uso do implante hormonal é bastante indicado para:

O tratamento, no caso da menopausa, ajuda a aliviar sintomas como cansaço, fogachos, diminuição da lubrificação vaginal, piora na qualidade do sono e perda de memória. Ele também mostra efetividade na diminuição dos sintomas da TPM, melhora da libido e prevenção de patologias.

A aplicação do implante hormonal é feita com anestesia local, em consultório médico. O procedimento é simples, indolor e são realizados um a dois pontos de sutura no local de entrada da cânula, sem necessidade de cuidados especiais ou repouso. A duração do implante hormonal é de 6 a 12 meses, ou até três anos, dependendo do tipo de implante.

As principais vantagens do implante hormonal são:

  • Pouca incidência de efeitos colaterais e, quando presentes, estes são bem tolerados;
  • Fácil aplicação e absorção;
  • Sistema de liberação de hormônios prolongada e controlada.

Em termos de absorção das substâncias, os implantes hormonais se configuram como as melhores alternativas quando o assunto é reposição hormonal. Por conta da forma de aplicação e biodisponibilidade, elas são facilmente absorvidas, em comparação com outras vias de reposição, como oral ou gel.

Além disso, medicamentos orais são metabolizados pelo fígado e apresentam maiores chances de efeitos colaterais e complicações, sobretudo, em pacientes com diabetes, doenças hepáticas e histórico de câncer de mama.

Conheça os tipos de implante hormonal

Existem implantes de diferentes tipos de hormônios, que são usados conforme a indicação para cada paciente. Os hormônios são prescritos por um médico que, após uma consulta detalhada, exame físico e avaliação de exames, indicará a melhor opção de tratamento.

Várias substâncias podem ser implantadas por meio do implante hormonal, incluindo testosterona, progesterona, hidrocortisona, estradiol, pregnenolona, icometrina, nomegestrol, gestrinona, estriol, tadalafila, nicotinamida adenina dinucleotídeo (NADH), entre outras.

Conheça algumas delas.

Gestrinona

Assim como outros implantes hormonais, oferece a vantagem de não sofrer efeito de primeira passagem e ser liberada lentamente durante um ano, inibindo a ovulação e a menstruação. É recomendada como anticoncepcional. Este tipo de implante hormonal não interfere na libido da paciente, o que pode ocorrer com as pílulas orais. Ele também pode ser indicado para pacientes com sangramento excessivo durante a menstruação.

O implante hormonal de gestrinona, por seu efeito androgênico, pode causar acne e queda de cabelo. Não pode ser usado durante a amamentação e é contraindicado para pacientes que já tiveram trombose, câncer de mama e câncer de endométrio.

Testosterona

O implante hormonal de testosterona pode ser usado tanto em homens quanto em mulheres e dura um ano. Age melhorando a libido, além de ter um efeito antidepressivo. É também indicado no climatério (fase que antecede a menopausa), associado ao implante de estradiol.

Estradiol

É um implante hormonal indicado como terapia dos sintomas do climatério.

Nomegestrol

É um implante hormonal que tem efeito anticoncepcional e seus efeitos duram um ano. Pode ser utilizado na reposição hormonal na menopausa e em associação com o estradiol.

Os implantes hormonais podem trazer mais disposição, produtividade, bem-estar e felicidade para a vida de quem recorre a esse tipo de terapia de modulação hormonal, pois eles regularizam os níveis de hormônio no organismo.

Eles podem, inclusive, interferir na estética, já que melhoram a aparência da pele e dos cabelos. Mas vale lembrar que um implante hormonal não deve ser usado com essa finalidade. Para potencializar os benefícios da terapia hormonal, é indispensável adotar um estilo de vida saudável e equilibrado, incluindo alimentação balanceada, sono de qualidade, prática de exercícios e consultas médicas regulares.

Riscos do implante hormonal

Como acontece em qualquer procedimento, pode ocorrer, na inserção do implante hormonal, um risco pequeno de infecção, sangramento e até mesmo de expulsão do implante do corpo. Porém, a probabilidade de esses efeitos ocorrerem depende de fatores como a qualidade do implante utilizado e da técnica do profissional.

Para reduzir esses riscos, é indicado que, após o procedimento, evite-se a prática de atividades físicas pelo tempo médio de uma semana.

O uso do implante hormonal traz uma série de benefícios à saúde, mas é necessário que o paciente passe por uma avaliação médica individualizada, realizada por um especialista, pois a utilização de hormônios deve ser feita para pacientes que têm necessidade do uso, como, por exemplo, para aliviar os sintomas relacionados à menopausa.

Fontes:

Dr. Daniel Stellin;

Portal Educação.

Dr. Daniel Stellin | CRM: 111.635

Dr. Daniel Stellin é um dermatologista graduado pela Faculdade de Medicina do ABC-São Paulo e pós-graduado em Fisiologia Hormonal Aplicada. Detém os títulos de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, Especialista em Infectologia pelo Hospital do Servidor Público Estadual e Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.