Fale conosco pelo WhatsApp

Modulação hormonal para emagrecer

Mulher com fita métrica na cintura - modulação hormonal para emagrecer

A modulação hormonal para emagrecer deve considerar necessidades e níveis hormonais do paciente, podendo contribuir no controle do peso, bem-estar físico e mental.

 

A modulação hormonal para emagrecer é uma abordagem que tem ganhado espaço entre os métodos de perda de peso. No entanto, a opção ainda gera algumas polêmicas que precisam ser esclarecidas para uma escolha mais consciente.

Os hormônios desempenham um papel fundamental em diversas funções vitais do corpo como fome e saciedade, regulação do sono, ganho de massa muscular, queima de calorias, fortalecimento do sistema imunológico, clareza mental, humor e outros.

A desregulação hormonal pode ser causada por diferentes fatores, incluindo má alimentação, distúrbios do sono, sedentarismo, ganho de peso e outros.

Encontrar o equilíbrio para manter-se saudável é fundamental. Veja a seguir os benefícios da modulação hormonal.

Modulação hormonal para emagrecer: o que é e como funciona?

A modulação hormonal entra nesse cenário como uma opção para regular os níveis hormonais usando hormônios bioidênticos, que vão agir no organismo suprindo a falta dos seus correspondentes.

Para que a modulação hormonal seja benéfica, o primeiro passo é o médico entender quais as insatisfações relatadas pelo paciente, como alterações na alimentação, no sono, na energia etc.

Em seguida, são realizados exames clínicos com amostras da saliva ou de sangue para analisar os níveis hormonais e identificar desregulações que possam estar interferindo no peso ou comprometendo o bem-estar do paciente.

Posteriormente, o médico vai receitar os hormônios bioidênticos considerando as taxas identificadas no organismo do paciente, o padrão normal para idade/peso e também quais são os objetivos com o tratamento.

Na clínica do Dr. Daniel Stellin, exames são solicitados antes da primeira consulta em fisiologia hormonal, tornando a consulta mais produtiva e efetiva ao paciente.

O objetivo da modulação hormonal é proporcionar mais qualidade de vida e saúde ao paciente, uma vez que a desregulação dos hormônios pode interferir negativamente em diversos aspectos cotidianos.

Quais hormônios interferem no controle de peso?

No que se refere à modulação hormonal para emagrecer, diferentes hormônios que interferem no controle do peso ao interferir na sensação de saciedade, fome e queima calórica, por exemplo. Alguns deles incluem:

  • Grelina: hormônio responsável por avisar ao cérebro da fome, sendo que dietas restritivas podem aumentar a concentração dele no organismo, de forma que a baixa ingestão calórica não funciona no longo prazo. Exercícios cardiovasculares contribuem na regulação nos níveis de grelina;
  • Leptina: hormônio que avisa ao cérebro da necessidade de comer menos e gastar mais calorias, sendo que a disponibilidade dele é maior em pessoas acima do peso, mas pode-se adquirir resistência à leptina. Alimentos antioxidantes e emagrecimento ajudam no controle dos níveis ideais;
  • Insulina: responsável pelo controle dos níveis de açúcar no sangue. Quando se tem mais glicose do que o corpo precisa, ela se transforma em gordura (triglicérides). Alimentar-se com frutas de baixo índice glicêmico, vegetais e grãos contribui no controle da glicemia e consequentemente redução da insulina;
  • Glucagon: responsável pela quebra das moléculas de carboidratos e consumo de gordura para gerar energia, ajudando diretamente no emagrecimento. O consumo de carnes, peixes, frutos do mar e nozes ajudam no controle desse hormônio.

Portanto, diversos hormônios interferem ativamente na alimentação, desde a sensação de fome até o gasto energético do organismo.

A modulação hormonal para emagrecer contribui na identificação de alterações nos níveis desses hormônios e reposição para um melhor funcionamento do organismo e equilíbrio do metabolismo.

Quais os benefícios e riscos no processo de emagrecimento?

Considerando que a modulação hormonal para emagrecer é focada nas necessidades individuais e nos níveis de hormônios do paciente, ela gera uma série de benefícios, como:

  • Aumento da massa magra;
  • Melhora da qualidade do sono;
  • Controle do apetite e mais saciedade;
  • Aceleração do metabolismo com queima da gordura;
  • Fortalecimento do sistema imunológico;
  • Bem-estar físico e mental.

Entre os riscos associados à modulação hormonal para emagrecer destacam-se os efeitos colaterais que podem ocorrer em qualquer tratamento e uso medicamentoso, além disso, pode-se verificar problemas metabólicos quando a dosagem não é adequada.

Os exames pré-tratamento e o acompanhamento de um médico de confiança são passos fundamentais para realização da modulação hormonal para emagrecer com segurança e resultados mais promissores. Agende uma consulta e saiba mais!

 

Fonte:

Dr. Daniel Stellin

Dr. Daniel Stellin | CRM: 111.635

Dr. Daniel Stellin é um dermatologista graduado pela Faculdade de Medicina do ABC-São Paulo e pós-graduado em Fisiologia Hormonal Aplicada. Detém os títulos de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, Especialista em Infectologia pelo Hospital do Servidor Público Estadual e Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.