Existem contraindicações para a reposição hormonal?

Início » Existem contraindicações para a reposição hormonal?

Mulher tomando remédio de reposição hormonal

A reposição hormonal é uma terapia que, como o próprio nome indica, visa repor os níveis dos hormônios no corpo, a fim de promover um envelhecimento equilibrado e saudável, além de melhorar a qualidade de vida dos indivíduos.

Em mulheres, a progesterona e o estrogênio são repostos no organismo. Já nos homens, o tratamento hormonal é feito com testosterona. Em ambos os casos, a reposição com hormônios homólogos consegue compensar a queda de hormônios naturais, amenizando os sintomas indesejáveis da menopausa e da andropausa.

Embora seja uma terapia segura e com resultados comprovados, será que a reposição hormonal é indicada para todos os casos ou ela possui contraindicações? Qualquer pessoa pode repor os hormônios? Leia a postagem completa e confira informações importantes acerca da TRH.

Quais são as indicações para a reposição hormonal?

Antes de falarmos sobre contraindicações, é importante conhecer as indicações para a reposição hormonal.  Nas mulheres, a terapia é indicada para tratar sintomas variados, como ondas de calor, secura vaginal, dor nas relações sexuais, diminuição de libido, bexiga hiperativa, incontinência urinária, alterações na pele, osteoporose, sudorese, mal estar e infecções ginecológicas.

A reposição hormonal masculina, por sua vez, é recomendada para tratar problemas como disfunção erétil, redução do desejo sexual, alterações no humor, fadiga, irritabilidade, depressão, diminuição da massa corporal, perda de massa óssea e déficit de memória. Atualmente inúmeros estudos mostram que pacientes com baixo nível de testosterona associado a um elevado nível de estrógenos apresentam elevado risco para complicações na próstata ( hiperplasia / câncer ) .

Perfil de segurança na TRH

 

De acordo com a Universidade de Harvard e a FDA, a poderosa agência norte-americana responsável pela aprovação de novas drogas, a modulação hormonal bioidêntica não é necessariamente melhor, mais eficiente ou mais segura que a terapia hormonal convencional. Por outro lado, ela também não traz riscos adicionais ao paciente além daqueles já conhecidos com a terapia hormonal habitual.

Segundo as duas instituições americanas, a falta de estudos de longo prazo e a ausência de evidência sólida apresentada através de estudos científicos não permite afirmar que a modulação hormonal bioidêntica é totalmente segura.

Isso não significa, no entanto, que os hormônios bioidênticos tragam riscos à saúde. Existem medicamentos aprovados pela FDA que contêm hormônios bioidênticos e que portanto passaram por uma série de testes clínicos e podem ser utilizados com segurança. Atualmente dispomos de um arsenal de exames laboratoriais  que permitem a dosagem de metabólitos hormonais no sangue na urina além de acurados exames de imagem que tornam a reposição cada vez mais segura, com evidente melhora na qualidade de vida dos pacientes.

Portanto, tão importante quanto encontrar um profissional da área médica com experiência no assunto e que prescreva as dosagens corretas, é utilizar apenas medicamentos que tenham sido aprovados pelos órgãos competentes de fiscalização.

Quer saber mais sobre a terapia de reposição hormonal? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como fisiologista hormonal e dermatologista em São Paulo.

Postado por Dr. Daniel Stellin | CRM: 111.635

Dr. Daniel Stellin é um dermatologista graduado pela Faculdade de Medicina do ABC-São Paulo e pós-graduado em Fisiologia Hormonal Aplicada. Detém os títulos de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, Especialista em Infectologia pelo Hospital do Servidor Público Estadual e Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.