O que dificulta a Perda de Peso?

Início » O que dificulta a Perda de Peso?

perda de peso

Você é daquelas pessoas que acreditam que, para emagrecer, basta cortar calorias? Vive fazendo dietas restritivas na esperança de eliminar alguns quilos e ficar de bem com a balança? Saiba que a perda de peso vai muito além do baixo consumo calórico.

São muitos os fatores que podem dificultar o emagrecimento. Confira os principais deles a seguir.

Consumo excessivo de calorias

De fato, o consumo exagerado de calorias é uma das razões para que as pessoas ganhem peso e tenham dificuldade para mandar embora os quilinhos a mais.

Quem come muito e não gasta energia, tende a acumular um saldo extra de gordura corporal. Por isso, é tão importante adotar uma dieta leve, nutritiva e balanceada, rica em alimentos saudáveis. Isso não significa abrir mão do prazer à mesa, já que é possível unir saúde e sabor.

Estresse

A sobrecarga de trabalho, as pressões profissionais, a fadiga extrema, os problemas de relacionamento, entre outros aspectos estressantes, podem interferir negativamente no processo de emagrecimento, dificultando a perda e a manutenção de peso.

Quando estamos estressados, são grandes as chances de ter o apetite descontrolado. Além disso, falta tempo e disposição para cuidar da saúde do corpo e da mente.

Desequilíbrio hormonal

Os hormônios em desordem dificultam a perda de peso, sobretudo, em mulheres na menopausa, ou entre as que tomam pílulas anticoncepcionais. Os baixos níveis de estrogênio estão entre as causas do ganho de peso, desregulação metabólica e aumento da gordura visceral.

Vale acrescentar que as alterações na glândula tireoide também podem afetar o metabolismo, impactactando na queima de gordura e refletindo no  aumento do peso corporal, afinal, o T3 (Hormônio Tireoidiano Triiodotironina) realiza uma papel importante na geração de energia corpórea, através do aumento do metabolismo intracelular.

Baixa qualidade do sono

Você sabia que há uma relação direta entre privação do sono e ganho de peso? Sim! As noites mal dormidas podem ter influência sobre os ponteiros da balança subindo.

Quando as pessoas dormem pouco, há uma expressiva diminuição da sensibilidade à leptina (níveis elevados promovem redução da saciedade)   e aumento da grelina. O primeiro é responsável pelo controle da saciedade e aumento do gasto calórico, enquanto o segundo age sobre o apetite, por isso, quem dorme menos do que o recomendado costuma sentir mais necessidade de comer carboidratos e apresenta maior dificuldade para ficar saciado.

Vale destacar que enquanto dormimos, especificamente na primeira fase de sono profundo, o GH é secretado. Esse hormônio do crescimento, apesar de não estar relacionado ao emagrecimento, é fundamental na manutenção da massa e do tônus muscular.

Sedentarismo

A inatividade física é uma causa importante da dificuldade para perder peso. O peso excessivo também é uma das principais razões para que a pessoa se torne sedentária, uma vez que os quilos extras impactam na disposição, autoestima, força óssea e na capacidade de locomoção.

Infelizmente, cerca de 52% dos brasileiros estão com sobrepeso, sendo a maioria deles assumidamente composta por pessoas sedentárias. Se esses indivíduos inserissem a prática de algumas atividades físicas moderadas três vezes por semana em sua rotina, essa inserção já poderia gerar efeitos sutis na diminuição do peso.

Alergias e intolerâncias alimentares

Alimentos que incluem soja, milho, glúten, laticínios, ovos, açúcar, entre outros componentes, podem provocar reações inflamatórias e alterações da permeabilidade do intestino. Isso pode gerar mudanças na flora intestinal, inchaços e ganho de peso em determinados indivíduos. Isso nos leva a afirmar que o emagrecimento não depende apenas da quantidade de alimentos consumidos, mas do tipo e qualidade dos mesmos.

Nível elevado de açúcar no sangue

O alto nível de açúcar no sangue torna as pessoas mais resistentes à insulina e mais propensas ao colesterol alto, pré-diabetes e diabetes. Essas condições dificultam a perda de peso. Mas, a boa notícia é que, com mudanças alimentares e prática regular de exercícios, o quadro pode ser revertido.

Quer saber mais sobre emagrecimento saudável? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter. Ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como fisiologista hormonal e dermatologista em São Paulo.

Postado por Dr. Daniel Stellin | CRM: 111.635

Dr. Daniel Stellin é um dermatologista graduado pela Faculdade de Medicina do ABC-São Paulo e pós-graduado em Fisiologia Hormonal Aplicada. Detém os títulos de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, Especialista em Infectologia pelo Hospital do Servidor Público Estadual e Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.