Quais as opções para o tratamento do melasma?

Início » Quais as opções para o tratamento do melasma?

melasma

Muitas pessoas sofrem com manchas na pele, principalmente na região do rosto, onde as mesmas ficam mais expostas. O melasma provoca manchas escuras e bastante visíveis na pele, não está associada com outros sintomas e complicações.

Apesar disso, a baixa da autoestima é a pior consequência para quem tem essa doença. Existem, no entanto, alguns tratamentos que podem amenizar  e até mesmo promover a cura do problema.

Mais comum em mulheres adultas, esse quadro pode afetar ambos os sexos, e a causa dele, apesar de não ser definida pelos especialistas, pode estar relacionada com a exposição frequente ao sol. Isso porque o sol é o responsável por estimular as células que produzem pigmentos. Por isso, as regiões da pele mais atingidas pelo problema são aquelas mais expostas e mais sensíveis aos raios solares, como o rosto, colo e braços .

Além dessa causa, outras também podem corroborar para o aparecimento dessas manchas, como gravidez, alterações hormonais, envelhecimento, uso de algumas medicações como o anticoncepcional, entre outras.

Muitas clínicas oferecem tratamentos positivos para os pacientes, sendo possível até a eliminação das manchas, por isso, a procura pelos métodos existentes é bastante grande. Confira a seguir alguns dos principais.

Cremes

Essa é uma das formas mais comuns de tratamento do melasma atualmente. Esses cremes são compostos por hidroquinona, que contém um princípio ativo clareador, agindo diretamente no melanócito, que é o produtor de melanina. Geralmente, esse produto é utilizado por um tempo determinado pelo especialista, por conta de alguns efeitos colaterais que podem ser causados, sendo necessário substituí-lo por outros ativos após cerca de 3 meses.

Pomadas com corticoide tópico podem ser usadas para diminuir inflamações que podem causar manchas. Retinoides também são indicados em forma de creme, para diminuir o escurecimento da pele, dentre outras opções de cremes.

Apesar de ser bastante utilizado, esse método de tratamento é de longo prazo e geralmente é aliado a outros procedimentos, como peeling e laser.

Peeling

Esse procedimento é feito a partir do desgaste da pele com o uso de aparelhos ou com ácidos, promovendo renovação da mesma e a uniformização da cor da pele. Com isso, o quadro de manchas pode ser amenizado.

Microagulhamento

A pele é perfurada com microagulhas, a fim de estimular a circulação de sangue na pele e, consequentemente, a produção de colágeno. Com isso, é possível reduzir flacidez, rugas e diminuir manchas na pele, inclusive do tipo que está em destaque neste artigo.

Laser

São liberadas ondas de calor na pele, as quais destroem o pigmento da melanina em excesso, sendo indicado para casos mais graves e que não foram eliminados com outros procedimentos. As sessões são semanais, e a quantidade é de acordo com a gravidade do melasma.

Vale salientar que tais procedimentos só conseguem proporcionar efeitos satisfatórios contra o melasma se o paciente usar protetor solar frequentemente e corretamente.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como fisiologista hormonal e dermatologista em São Paulo.

Postado por Dr. Daniel Stellin | CRM: 111.635

Dr. Daniel Stellin é um dermatologista graduado pela Faculdade de Medicina do ABC-São Paulo e pós-graduado em Fisiologia Hormonal Aplicada. Detém os títulos de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, Especialista em Infectologia pelo Hospital do Servidor Público Estadual e Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.